Princípio de incêndio: como agir e o que fazer para evitar uma tragédia

Se a situação é de começo de incêndio, muita calma nessa hora!

Os procedimentos de emergência dependem da natureza do incêndio. Mas uma coisa é certa: o fogo se forma pela combinação de três elementos: comburente, combustível e calor.

Comburente + Combustível + Calor = Fogo

  1. Comburente é o oxigênio presente no ar.
  2. Combustível é todo o material que pode pegar fogo.
  3. Calor é uma forma de energia (que ajuda a espalhar o fogo).

Portanto, para evitar incêndios, basta não deixar que esses três elementos se juntem. Caso o fogo já tenha se instalado, é preciso eliminar um desses elementos da situação, enquanto apaga o fogo.

Por exemplo, se o incêndio for devido a um curto-circuito, a primeira atitude é desligar a chave geral de eletricidade (eliminação do calor). Se for em tecido (uma cortina ou roupa), deve-se tirar das proximidades tudo que possa pegar fogo (eliminação do combustível).

Se as chamas se alastrarem, o correto é chamar imediatamente o Corpo de Bombeiros. Por isso, a portaria do edifício deve ter uma lista de telefones úteis para casos de emergência: corpo de bombeiros, polícia, pronto socorro e hospitais mais próximos.

Princípios de incêndio podem ser resolvidos com o uso do extintor

As três condições básicas para o uso desse equipamento são:

  • O pessoal que eventualmente vai usá-lo precisa ser treinado periodicamente.
  • Os extintores devem ser distribuídos por diversas áreas do edifício, em locais de fácil acesso.
  • A manutenção dos extintores é periódica. E são obrigatórios os selos da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).
Talvez você se interesse por:  Operação de soldagem, uma atividade incendiária?

É bom conhecer as classes de fogo, ou seja, os tipos de materiais que produzem chamas:

Classes de incêndio

Classe A – São materiais sólidos de fácil combustão. Queimam em sua superfície e profundidade e deixam resíduos. Os exemplos mais comuns são tecido, madeira, borracha, papel etc.
Classe B – São materiais gasosos e líquidos inflamáveis. Queimam somente em sua superfície e não deixam resíduos, como álcool, gás, querosene, vernizes, tintas etc.
Classe C – Equipamentos elétricos energizados, tais como: resistências, transformadores, quadros de distribuição de luz, fios elétricos etc.

Existe um tipo de extintor para cada classe de fogo. A tabela a seguir faz uma síntese do uso de extintores e traz algumas
orientações.

CLASSE DO FOGOTIPO DE EXTINTOR ADEQUADOORIENTAÇÕES
A (Sólidos)Água-gás
Água pressurizada
  • Aponte o jato na direção da base do fogo.
B (Líquidos e gasosos)Pó químico CO 2
(gás carbônico)
  • Jamais use água.
  • Aponte o jato na direção da base do fogo, espalhando o gás ou o pó em movimentos de varredura.
C (Elétricos)Pó químico CO 2
(gás carbônico)
  • Jamais use água.
  • Aponte o jato na direção da base do fogo, espalhando o gás ou o pó em movimentos de varredura.
  • Assim que a energia elétrica é cortada, o incêndio passa para a classe A ou B. Se o material for sólido, use extintor de água-gás ou água pressurizada.

CUIDADOS:

  1. Não utilize extintor com lacre rompido.
  2. Após o uso do extintor, limpe as áreas atingidas e mantenha o local arejado.

Envie este artigo para seus amigos!

Add Comment