Login

Reaproveitamento de água da chuva

Saiba como instalar mini-estações residenciais e reaproveitar a água da chuva. O reuso da água da chuva pode sim ser feito sem que haja um grande investimento. Até mesmo uma pequena residencia pode economizar bastante utilizando o sistema.

O que é o sistema de reaproveitamento de água da chuva?

Diferente dos grandes sistemas de tratamento, as mini estações são sistemas autônomos que servem para uma casa, um condomínio ou um loteamento. Seu principal benefício é o reaproveitamento da água para fins não potáveis, como irrigação de jardins, gramados, lavagens de pisos, calçadas e descarga de vasos sanitários.

reaproveitamento-agua
A captação é feita principalmente em telhados e lajes, por meio de calhas e condutores horizontais e verticais que encaminham a água para filtros e reservatórios. Em princípio, qualquer imóvel pode instalar o equipamento, o projeto é feito a partir do levantamento da área de captação de água de chuvas disponível e do índice pluviométrico. A partir desses dados é possível definir volumes, tubulações e filtros necessários.

A execução do projeto é simples, podendo ser realizada por instaladores hidráulicos.

Limpeza do sistema de reaproveitamento de água

A limpeza de calhas deve ser periódica e manual, e consiste na inspeção das calhas e na limpeza com jato de água do miolo filtrante, que é retirado abrindo a tampa do filtro. Isto se faz em condições normais antes e depois da estação de chuvas. No Brasil ainda não existe nenhuma norma referente, mas na Alemanha existe a DIN E 1989-1 sobre água de chuvas que determina a inspeção anual da cisterna e a limpeza do fundo de 10 em 10 anos, orienta Jack M. Sickmann, diretor da empresa 3P Technik.

Talvez você se interesse por:  Como preservar o seu meio ambiente

sistema-reuso-agua

Como instalar o sistema de reaproveitamento de água

  • Os tubos descem das calhas são conectados nas entradas da água bruta do filtro e dependem da disposição dos tubos que descem das calhas. Se a área de telhado for superior  100 m2 a conexão deve ser feita pelos dois lados. As conexões são feitas com luvas de 100mm de PVC.
  • A saída para a cisterna é indicada para água filtrada, localizada abaixo das entradas de água de chuva bruta. A conexão é feita com uma luva de 100mm de PVC.
  • O descarte das folhas e parte da água deve ser direcionado para o pluvial (eventualmente, dependendo do terreno, pode ser jogado novamente no terreno para haver absorção pelo solo). É através da saída oposta a entrada de água filtrada para a cisterna.
  • A conexão é feita com uma luva de 100mm de PVC.
  • O filtro pode ser instalado tanto acima como abaixo do solo, caso seja instalado abaixo da linha do solo, a base deve ser sobre a terra bem firme ou ser construído um nicho próprio para que este não afunde. Como a borda superior fica rente ao solo, a tampa do filtro deve ficar bem fechada, a caixa que irá abrigar o sistema deve ter uma folga para as laterais variando entre 30 e 40 cm além das dimensões do filtro.
  • O miolo filtrante deve ser inspecionado e limpo regularmente. A frequência necessária vai depender das condições no local.
  • O freio d’água é instalado no fundo da cisterna, sendo conectado ao filtro através de um tubo de 100mm de PVC.
  • O sifão é instalado na parte mais alta da cisterna, sempre a 5 cm de desnível em relação à entrada de água no reservatório. Certifique-se que o mesmo não vai girar, para isto fixe bem o sifão na parte interna, e o tubo para fora, funcionando como ladrão.
  • Para recalcar a água da cisterna, deve-se usar uma bomba engatada no conjunto boia-mangueira, usando uma boia de nível elétrica para que a bomba só funcione se houver água dentro da cisterna.
  • É importante prever uma entrada de água da rede pública diretamente na caixa superior para evitar problemas em épocas de estiagem.
  • É indicada a instalação de um “By-Pass” (passagem alternativa), ligando a canalização de água da chuva antes do filtro diretamente à canalização da galeria pluvial, pois caso haja um excesso de água da chuva no sistema este excesso corre direto para a galeria pluvial evitando um possível colapso.
Talvez você se interesse por:  Construção otimizada: redução de tempo e economia com construção a seco

sistema-reuso-agua
Reaproveitamento de água da chuva
5 (100%) 3 vote[s]

Envie este artigo para seus amigos!

2 Comentários

  1. Carla Kensy 11 de maio de 2015
  2. Luis Adolfo 20 de março de 2015

Add Comment