Login

Trincas em Paredes: Diagnóstico e Recuperação

Trincas em paredes: diagnóstico

Trincas em paredes. Deve ser verificado se as trincas estão estabilizadas ou se estão em movimento. Para isso, pode-se fazer um exame complementar simples. Fecha-se a trinca com pasta de gesso (se for interna) e com pasta de cal e cimento (se for externa). Observa-se durante algum tempo, no mínimo alguns dias. Se permanecerem fechadas é sinal de que estão estabilizadas e, dependendo do caso, já podem ser diagnosticadas e tratadas (fechadas definitivamente).

Se as trincas da parede reabrirem é sinal de que o fenômeno causador está ativo, e há duas possibilidades para o que está ocorrendo: ou é uma trinca sazonal (que abre e fecha em função de variações climáticas) e para confirmação disso talvez as observações devam se estender por mais tempo, ou é uma trinca progressiva, indicadora de problemas estruturais ou de fundações e que podem exigir solução até urgente. Nesses casos a situação exige um profissional especializado.


Recuperação de trincas em paredes

Uma vez diagnosticada a patologia e concluído que a trinca pode ser fechada definitivamente, os procedimentos recomendados são apresentados a seguir, no caso de paredes revestidas. Esses procedimentos podem ser feitos tanto para trincas existentes na alvenaria como para trincas entre alvenaria e peças estruturais (vigas ou pilares):
Tela metálica para recuperação de trincas em paredes

  • Remover o revestimento numa largura de aproximadamente 25 cm para cada lado da trinca;
  • Limpar a a região com uma trincha removendo poeiras e materiais soltos;
  • Fixar uma tira de tela tipo “deployeé”, medianamente estendida. Pode-se usar também tela eletrosoldada galvanizada apropriada para fechamento de trincas, que são disponíveis no mercado. A tela deve transpassar a trinca aproximadamente 20 cm de cada lado e ser presa na alvenaria com pregos pequenos ou cravos metálicos;
  • Chapiscar a área a ser revestida;
  • Reexecutar o revestimento com argamassa de cimento, cal hidratada e areia, traço 1:2:9 em, volume, conforme já visto em artigos anteriores.

Envie este artigo para seus amigos!

4 Comentários

  1. Catiane 28 de setembro de 2015
    • ConstruFacil RJ ConstruFacil RJ 28 de setembro de 2015
    • Braz Coelho Santana 2 de novembro de 2016
      • Ana Átman 14 de abril de 2017

Add Comment