Login

Relações entre a estrutura da madeira e suas propriedades

A composição química, a estrutura e a organização dos elementos celulares do lenho determinam as propriedades da madeira e a sua aptidão para o uso comercial.

Alguns exemplos estão analisados abaixo, relacionando-se algumas propriedades de acordo com a estrutura anatômica da madeira.

propriedades-madeira

Densidade ou Massa específica

A massa específica é uma das principais características tecnológicas da madeira, pois explica em grande parte as suas propriedades.

As fibras são elementos celulares mais relacionados com a resistência mecânica das madeiras. Há uma correlação entre o volume de fibras, massa específica e resistência mecânica.

Os vasos, por serem de grande dimensão e de paredes delgadas, são estruturas que diminuem a resistência mecânica da madeira.

Durabilidade

Em geral, madeiras de alta massa específica que apresentam extrativos, tais como: goma, alcalóides, fenóis, etc, são mais resistentes ao ataque de organismos xilófagos. Por outro lado, madeiras leves, com poucos extrativos e de coloração clara, são de baixa durabilidade natural.

O alburno, por armazenar substâncias nutritivas, tais como: amido, açúcares, proteínas, etc., favorece o ataque de organismos xilófagos.

Permeabilidade

A permeabilidade influencia nos processos de secagem e preservação da madeira. A presença de substâncias como: goma, resina, látex, canais axiais normais e traumáticos, tilas, etc., afetam a passagem de fluidos na madeira.

Trabalhabilidade

Entende-se por trabalhabilidade o comportamento das madeiras ao serem processadas com instrumentos.

Durante o corte da madeira, as toras com grã revessa exigem um consumo excessivo de força motriz em virtude da serra cortar obliquamente os elementos fibrosos, dificultando esse tipo de operação. O acabamento das peças revessas na plaina também fica prejudicado. Por outro lado, a grã revessa pode conferir um desenho decorativo que é apreciado para determinados usos, por exemplo: teclas de piano, fundo de instrumentos musicais de arco, etc.

Talvez você se interesse por:  Marcenaria: proporções dos móveis nos ambientes

Madeiras excessivamente leves, de baixa massa específica, são difíceis de serem trabalhadas, apresentando superfícies lanosas ao serem aplainadas. As de massa específica muito alta apresentam problemas quando trabalhadas por provocarem desgaste nas ferramentas.

Comportamento com relação à colagem e acabamento

Madeiras que transpiram goma ou óleo-resina podem apresentar problemas ao serem coladas ou pintadas, como, por exemplo, a copaíba e o pau-roxo.

Lenho de reação

O lenho de reação ocorre tanto para madeiras coníferas como de folhosas, apresentando crescimento maior num dos lados. Em coníferas, recebe o nome de lenho de compressão.

As madeiras com lenho de compressão e de reação podem apresentar problemas durante a secagem, causando torção e empenamento nas peças. As fibras, nessa região apresentam uma camada interna gelatinosa. Esse lenho, quando serrado, apresenta superfície lenhosa que dificulta o acabamento e a pintura.

Propriedades físicas e mecânicas

A escolha das madeiras para fins industriais ou construtivos, só pode ser realizada com o conhecimento das propriedades físicas e mecânicas que as caracterizam, assim sendo:

Características físicas

  • Umidade: saturação do tecido lenhoso por água. Após o corte a madeira perde lentamente a água até atingir um conteúdo de umidade de equilíbrio com o ambiente. A maioria das propriedades mecânicas varia com o teor de umidade da madeira;
  • Massa específica. Retratabilidade: variação das dimensões da madeira, quando ocorre alteração em seu teor de umidade.

Características mecânicas

  • Resistência à compressão;
  • Resistência à flexão;
  • Resistência à tração;
  • Resistência ao fendilhamento (fissuras);
  • Dureza;
  • Resistência a cisalhamento (quebra).

Envie este artigo para seus amigos!

Add Comment